quinta-feira, 6 de março de 2008

4 Vítimas de crimes contra a liberdade e atodeterminação sexual por dia em Portugal

Um estudo da Amnistia Internacional indica que há em Portugal, em média, quatro vítimas de crime contra a liberdade e autodeterminação sexual. Oitenta e sete por cento dos casos são do sexo feminino, muitas com menos de 16 anos.

A situação alertada refere-se ao crime de violação, de abuso sexual contra crianças, adolescentes e dependentes. "O facto de as vítimas serem maioritariamente mulheres, muitas delas com menos de 16 anos, demonstra que os estereótipos relativos à discriminação por género continuam enraizados no nosso país, com consequências altamente nefastas", diz a Amnistia Internacional (AI). Em 2007, a PSP e a GNR receberam no total 1443 informações de crime contra a liberdade e autodeterminação sexual, referentes a 1526 vítimas. Um número que, de acordo com a AI peca por defeito. "Tal como noutras situações, as queixas representarão só uma parcela dos casos reais", diz a organização. Dados internacionais A Amnistia Internacional refere que nos EUA 83% das raparigas entre o 8.º e o 11.º ano (12 a 16 anos) já foram vítimas de algum tipo de assédio sexual. A situação nas escolas, em vários países, é preocupante. No Malawi, em 2006, metade das raparigas foram tocadas de um modo sexual, “sem permissão, pelos seus professores ou colegas”. Diz a AI que o assedio sexual nas escolas na América Latina acontece de forma ampla na República Dominicana, Honduras, Guatemala, México, Nicarágua e Panamá.
RTP2008-03-06 12:17:22

Sem comentários: